VIDA PRISIONAL





Acesse o site www.carceraria.org.br e fique ligado nas notícias e atividades da Pastoral Carcerária. Se desejar colaborar com o site deles com notícias, envie sua mensagem para imprensa@carceraria.org.br.





PARA VER MAIS SOBRE AS NOTÍCIAS, CLIQUE NO LINK-"LEIA MAIS"


Boletim Informativo 18/08/2017

Pastoral Carcerária pede que MP apure suicídios em presídio feminino de SP

Para a Pastoral, o número de mortes em um curto espaço de tempo pode significar uma tendência epidêmica, além de uma omissão estatal em relação aos cuidados com a saúde física e psíquica das presas. “Cumpre ressaltar que violações sistemáticas de direitos, cumulada com violências e ameaças cotidianas por parte de agentes do Estado e/ou grupos rivais de presos, pode potencializar sobremaneira os efeitos intrinsecamente deletérios do encarceramento e levar pessoas privadas de liberdade ao limite extremo do suicídio”, diz trecho do ofício. 

Pastoral de Feira de Santana denuncia condições precárias de mães presas com seus filhos

Em nota, os membros da PCr que visitaram o presídio de Feira de Santana disseram que as condições do local são "lamentáveis". "As detentas grávidas tem tido o mesmo precaríssimo atendimento médico prestado pela unidade prisional a todos os outros detentos. Elas não recebem nenhuma alimentação diferenciada, nem mesmo um suplemento nutricional ou medicamentoso. Não se garante nenhum atendimento pediátrico. As vacinas para as gestantes e crianças recém-nascidas são aplicadas sempre com atraso. É indiscutível que crianças recém-nascidas mantidas com suas mães dentro de uma prisão carregarão sequelas e traumas psicológicos". 

Mensagem dos bispos das pastorais sociais sobre o papel da igreja no Brasil em crise

Em nota, Dom Guilherme Antonio Werlang, presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Social Transformadora afirma que "não seremos um país diferente sem superarmos a ingenuidade, a passividade e a indiferença. Urge-nos, portanto, como Igreja, realizar nossa missão pastoral em profunda comunhão, com coragem profética, promovendo e fortalecendo ações comuns com todos os setores democráticos deste país, em favor de novos rumos para a sociedade brasileira, fundados na dignidade humana de todos os cidadãos e cidadãs e no bem comum". 

Massacre silencioso: doenças tratáveis matam mais que violência nas prisões brasileiras

Segundo dados do Ministério da Saúde, obtidos pela reportagem com fontes ligadas ao Depen (Departamento Penitenciário Nacional), “pessoas privadas de liberdade têm, em média, chance 28 vezes maior do que a população em geral de contrair tuberculose. A taxa de prevalência de HIV/Aids entre a população prisional era de 1,3% em 2014, enquanto entre a população em geral era de 0,4%”. No Rio de Janeiro, exatos 517 presos morreram em decorrências de diversas doenças entre 1º de janeiro de 2015 e 1º de agosto deste ano. No mesmo período, 37 detentos foram assassinados em suas celas –um índice 14 vezes menor. 

Encontro regional em SC debate a situação da mulher no cárcere brasileiro

O número de mulheres encarceradas no Brasil cresceu cerca de 567%, entre 2000 e 2014. As inúmeras violações de direitos humanos a que a mulher está submetida no sistema prisional brasileiro foi objeto de estudo e discussão do sexto e último encontro regional de formação oferecido pela equipe Nacional da Pastoral Carcerária da CNBB.  

Superlotação dos presídios facilita proliferação de doenças, afirma médica

No último mês, uma infestação de doenças de pele no presídio da Papuda, no Distrito Federal, acometeu mais de 2 mil pessoas detidas, em cinco unidades do complexo, de acordo a Secretaria de Segurança Pública da capital nacional. O padre Almir José de Ramos, assessor de saúde da Pastoral Carcerária aponta ainda outra questão que coloca em xeque o tratamento dentro e fora dos presídios: a saúde mental. “A gente sabe que tem aumentado muito o número de presos com problemas mentais. Na população carcerária, são cerca de 42% que apresentam algum problema”, afirma. 

Membros da CNBB e Pastorais Sociais reassumem o Pacto das Catacumbas inspirados por Medellín

Retomando o tema dos “sinais dos tempos” e respirando o ar novo do Concílio que Papa Francisco nos trouxe de volta, com uma Igreja pobre, para os pobres, a partir do batismo, que nos faz povo de Deus, os presentes no encontro reafirmaram os compromissos com os pequenos e excluídos, uma “Igreja dos Pobres”, que 42 Padres Conciliares de todos os continentes assumiram em 16 de novembro de 1965, já no final do Concilio, nas Catacumbas de Santa Domitila, e por isso conhecido como “Pacto das Catacumbas”. 

Acesse o site www.carceraria.org.br e fique ligado nas notícias e atividades da Pastoral Carcerária. Se desejar colaborar conosco com notícias, envie sua mensagem para imprensa@carceraria.org.br.
PASTORAL CARCERÁRIA NACIONAL -PCrN/CNBB
Coordenação Executiva Nacional:
Pe. Valdir João da Silveira, Pe. Gianfranco Graziola, Ir. Petra Pfaller, 
Paulo Cesar Malvezzi Filho
Tel.: 55 (11) 3101-9419 - Skype: carceraria.secretaria
E-mail: nacional@carceraria.org.br - www.carceraria.org.br




Nenhum comentário:

Postar um comentário